Transporte de Mercadorias , Lda

Exercício de simulacro

No dia 29 de Dezembro de 2020, às 15h43, a ICM TRANS realizou mais um exercício de simulacro no âmbito do Plano de Emergência Interno (PEI) aprovado para o seu estabelecimento situado em Cabra Figa, no complexo Silvip.

A realização do simulacro, enquadrada na aferição prática do plano de emergência interno e no treino dos ocupantes do estabelecimento, incluiu os seguintes objetivos:
- Promover a interiorização dos conceitos associados às instruções e procedimentos de emergência associados às ações de intervenção e às rotinas de alarme e alerta, com o objetivo de melhorar o nível de desempenho na atuação em caso de sinistro;
- Testar as estruturas internas de segurança da ICM TRANS, treinar e avaliar a sua capacidade de comando e controlo;
- Testar as instruções e procedimentos de atuação definidos para cada cenário de emergência, no sentido de identificar eventuais lacunas e possibilidade de melhoria;
- Testar as comunicações entre os diversos elementos da estrutura operacional e as entidades externas;
- Testar o sistema de transmissão automática do alerta aos Bombeiros Voluntários de São Pedro de Sintra (BVSPS), por parte da central de comando e sinalização do sistema automático de deteção de incêndio (SADI);
- Testar e treinar os elementos da equipa de intervenção na utilização dos aparelhos respiratórios isolantes de circuito aberto (ARICA).
No âmbito da situação de exceção e de emergência de saúde pública provocada pela pandemia SARS-CoV-2 (COVID-19), e tendo em conta as medidas de prevenção/contingência e as várias restrições associadas, o desenvolvimento do exercício de simulacro foi enquadrado pelas seguintes condições de realização:
- Os utilizadores do estabelecimento foram previamente informados da realização do exercício;
- Foi dado conhecimento aos BVSPS e às empresas contíguas às instalações da ICM TRANS;
- Não existiu a participação de entidades externas (nomeadamente, bombeiros);
- O cenário de emergência foi simulado da forma mais realista possível (utilização de máquina
portátil de produção de fumo);
- A utilização dos meios de intervenção foi feita de forma simulada;
- Foram realizados todos os procedimentos de alerta previstos no PEI, através da utilização de
canais reais de comunicação;
- A evacuação do estabelecimento foi realizada de forma parcial e a concentração das pessoas
foi feita no exterior do estabelecimento (e não no ponto de encontro).
O simulacro contemplou o seguinte cenário:
- Deflagra um foco de incêndio numa palete do produto químico armazenada, que se
apresenta no estado físico de aerossol e com características de perigosidade de
extremamente inflamável;
- Os potenciais riscos associados são o da propagação do incêndio, e da libertação de gases
tóxicos e de fumos.
Em termos da avaliação do exercício, destacamos os seguintes aspetos:
- Empenho e atitude de todos os elementos intervenientes no simulacro;
- Acão eficaz dos elementos das equipas internas de intervenção e de evacuação;
- Funcionamento dos sistemas e equipamentos de segurança;
- Rapidez na evacuação do estabelecimento;
- Rapidez na transmissão do alerta aos meios de socorro e às entidades vizinhas ao
estabelecimento.